segunda-feira, 9 de agosto de 2010

"- Há dois tipos de pessoas - deve haver mais, infelizmente que eu não conheço. Gente como a Raquel, que aproveita o melhor de cada relação e gente como eu, que não consegue superar ressentimentos. Lembra daquela música do Cartola, que diz num determinado momento "de cada amor herdararás só o cinismo"? É isso aí, Ivan. Eu só consigo ser melhor quando tudo dá certo. Quando não dá, como aconteceu com a gente, o que fica é um travo de fel, é uma coisa muito amarga.

- Que pena pra você porque para mim o que ficou foi puro mel.

- Me faz bem ouvir isso de você - disse Lena, apertando sua mão.

- Na hora que você começou com o Cartola eu tinha certeza que a gente ia terminar com Lupicínio. Você não sabe como eu odeio esse tom de "Podemos ser amigos simplesmente".

(Aos meus amigos, Maria Adelaide Amaral)

Nenhum comentário:

Postar um comentário